Mostra Álbum Animado de Bestiários.

Mostra On-line do Itaú Cultural reúne filmes que apresentam diferentes criaturas – de animais reais a fantásticos – em um breve percurso pela animação brasileira.

Até 30 de julho o site do Itaú Cultural apresenta uma nova mostra on-line com 10 filmes entre curtas e longas-metragens.


Meow! de Marcos Magalhães é um dos filmes exibidos na mostra e é considerado uma das principais produções a levarem a animação brasileira para importantes festivais do mundo. Conquistou diversos prêmios, como o Especial do Júri em Cannes, França; de Melhor Roteiro e Melhor Filme, pelo Júri Popular, no Festival de Brasília; o 3º Prêmio de Animação no Festival de Havana, Cuba; e o São Saruê, da Federação de Cineclubes do Rio de Janeiro.


Clique aqui para conferir a programação completa da mostra.


Definição do termo

Em sentido mais estrito, o termo bestiário (do latim bestia, "animal") faz referência a um gênero literário medieval, que se vale da descrição física e de comportamentos de animais, reais ou fantásticos, para a construção de fábulas de caráter moralizante. Em prosa ou verso, esses manuscritos ilustrados tomam a natureza como fonte de ensinamentos úteis ao homem e à sociedade, com uma visão cristã do mundo. A cultura medieval está repleta de animais, em textos e imagens, rituais, folclore, heráldica, canções, provérbios etc. Em geral, esses seres são representados por meio de duas visões distintas: uma mais corrente considera o animal imperfeito e inferior e, nesse sentido, radicalmente diferente do homem; outra, ao contrário, subentende a existência de uma comunidade de seres vivos e um parentesco - não apenas biológico - entre homens e animais. Repletos de sentidos negativos e positivos, representados muitas vezes de forma alegórica e grotesca, o fato é que os animais ocupam o primeiro plano no imaginário medieval cristão: dragões, crocodilos, leões, asnos, porcos, baleias, unicórnios, aves e peixes simbolizam o mal, a imortalidade, a astúcia, o poder etc., de acordo com os atributos de cada um deles.


Fonte

Itaú Cultural